Como Funcionam os combates no Travian.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Como Funcionam os combates no Travian.

Mensagem  Admin-Enkidu em Dom Out 17, 2010 6:58 pm

[1] Introdução


No Travian, todas as unidades têm pontos de ataque e pontos de defesa. Os pontos de ataque de uma unidade correspondem ao dano que provocam durante um ataque, enquanto os pontos de defesa simbolizam a resistência a um ataque do inimigo. Cada unidade tem diferente poder contra cavalaria e infantaria, ou seja não é a mesma coisa atacar com cavalaria ou com infantaria.

Por exemplo, algumas unidades, como o Pretoriano, são especializadas na defesa contra infantaria, enquanto outras tropas, como os Lanceiros se destacam pela defesa contra cavalaria.
No momento do ataque, apenas se toma em consideração os pontos de ataque, e para se defender os pontos de defesa. Qualquer jogador que enviar apenas Pretorianos para uma batalha, habilita-se a perde-lo já que estes apresentam fraquezas no ataque. Portanto, existem algumas unidades que não devem ser usadas para um ataque.


--------------------------

[2] Como funciona


Para além dos pontos de ataque e defesa serem visíveis a qualquer jogador, nem todos sabem como funciona cada ataque.

Os jogadores que usam o Plus account dispõem de um simulador que abrange todos os aspectos e possibilidades dos combates no Travian. Os jogadores que não têm o usam ficam com um simulador limitado, onde não existe opção para acrescentar bónus de ataque (como muralhas, moralidade, etc.), ou seja, ficam com uma perspectiva do ataque menos precisa.
Aconselho o uso do Travian Combat que é bastante útil para quem quer saber exactamente quantas tropas vai perder

Aqui estão algumas manhas para combater o sistema.


--------------------------


[2.1] Combate básico


Um combate básico, é normalmente um ataque onde não existem bónus. Para este tipo de combates só se toma em consideração os pontos de ataque do atacante e os pontos de defesa do defensor.

Primeiro, porque multiplica a força de ataque de cada unidade pelo número de tropas que se encontram naquele ataque, e junta o resultado de todas as unidades. Por exemplo, se temos 100 Imperianos e 50 Legionários, tendo em conta que os eu ataque é de 70 e 40 cada um, respectivamente, o ataque deve ser:

100 x 70 + 50 x 40 = 9000

Suponha-se que o defensor tem 150 falanges. Como o ataque é composto apenas por infantaria, as falanges irão utilizar os seus pontos de defesa contra a infantaria, 40. Portanto, as contas seriam feitas desta maneira:

150 x 40 = 6000

Num combate normal, um dos dois irá perder todas as tropas. O lado que perde será decidido mediante a comparação dos pontos de combate. Neste caso, 9000 é maior que 6000, por isso o defensor perde todas as unidades.

Para calcular a percentagem de tropas que o vencedor perde, utiliza-se a seguinte fórmula:

100 x (pp / pg) ^ 1,5 = percentagem de tropas perdidas


Onde: "pp" simbolizam os pontos totais do perdedor (neste caso o defensor), pg é o total de pontos do vencedor, e o símbolo ^ significa "elevado".

Adaptando ao nosso exemplo fica: 100 x (6000/9000) ^ 1,5 = 100 x 0,5443 = 54,43

Portanto, 54,43% das unidades do atacante morrem.
Se o atacante tinha 100 imperianos e 50 legionários, então morrem 0,5443 x 100 (número de imperianos) = 54,43 imperianos, arredondado dá 54. Do mesmo modo, 0,5443 x 50(número de legionários) = 27,21 que arredondado dá 27. Portanto, dos 100 Imperianos e 50 Legionários inciais, 54 e 27, respectivamente, morrem.


O sistema de combate assalto, o vencedor da batalha e as perdas de cada são calculadas com base na fórmula:

100X / (100 + X)

Onde X é a fórmula normal de combate, (número de tropas) x (pontos de ataque) neste caso do atacante e igual para o defensor mas com pontos de defesa

100 x (pp / pg) ^ 1,5

Isso dar-nos-à a percentagem de tropas perdidas pelo vencedor.
Se chamarmos a Y a percentagem de tropas que o vencido não perde, as que perde conta-se a partir de 100 - Y

Por exemplo, 1000 imperianos atacam 1000 pretorianos. 70.000> 65.000 daí os imperianos ganharem.

X = 100 x (65/70) ^ 1,5 = 89,479%.
Y = 100 x 89,479 / 189,479 = 47,22%

Portanto, 47,22% dos 1000 imperianos morrem, que é 472 soldados. Por outro lado, o vencido irá perder 100 - 47,22 = 52,78 % e ficará com 47,22 % das tropas.

NOTA: Na 3.ª Versão do Travian (T3) a fórmula é diferente para que aumente o número de tropas perdidas pelo vencedor num combate:

100 x (pp / pg) ^ X

Onde X é um número que depende do número de tropas. Quantas mais tropas, menor X. Se pp / pg for maior que um ao elevar a um expoente menor o resultado será maior.

X segue uma fórmula tipo 1,5-0,08 x log 10 x (N/1000) onde N é o número de tropas (não consumo de grãos, mas as tropas, um caesaris e um imperiano têm igual número).
Por exemplo, numa batalha de 2000 haeduanos contra 1400 falanges, N = 2000 + 1400 = 3400. Portanto X = 1,5-0.08 log10 (3,4) = 1457; portanto, a fórmula será neste caso 100 (pp / pg) ^ 1457

[2.2] Lutas mais complexas


O que acontece se atacado com cavalaria e infantaria?
Os pontos de ataque do atacante são estimados na mesma, mas os pontos de defesa do defensor não, porque ficamos na dúvida de o que é que está do outro lado: Estará infantaria à minha espera? Ou cavalos? Ambos? Para esta eleição, nós levamos os pontos proporcionais ao ataque.

Num ataque "normal" em que figurem 100 cavaleiros Theutates e 50 pretorianos, o combate calcula-se assim:

100 x 90 + 50 x 65 = 9000 + 3250 = 12250

Desses 12250 pontos, 9000 são de cavalaria e 3250 de infantaria. Se olharmos para as proporções, é preciso

9000 / 12250 = 0,7346 (em percentagem 73,46 %)

Fazemos também para os pontos de ataque da infantaria

3250 / 12250 = 0,2654 (em percentagem 26,54 %)


(9000 / 12250) + (3250 / 12250) = 1 (em percentagem dá 100 % como é óbvio)

Ou seja, a 73,46 % do ataque total corresponde à cavalaria e 26,54 % à infantaria

O defensor irá utilizar a mesma percentagem para a defesa. Um pretoriano tem 65 pontos de defesa contra a infantaria e 35 contra cavalaria.

Portanto os pontos totais de infantaria seriam:

100 x 65 = 6500

E os pontos totais de cavalaria seriam:

100 x 35 = 3500

Para calcular o total de pontos de defesa, são seleccionados, proporcionalmente, a partir destes resultados:

0,7346 x 3500 + 0,2654 x 6500 = 2571,1 + 1725,1 = 4296,2

Portanto os 100 pretorianos terão um total de 4296,2 pontos de defesa, que se obtêm através da proporção cavalaria / infantaria do atacante.

O resto da batalha é mais do mesmo: 12250 é superior 4296,2 logo os 100 pretorianos morrem. Para calcular-mos as baixas do perdedor:

100 x (12250) ^ 1,5 = 20,77

O atacante perdeu 20,77% das suas tropas, ou seja 100 x 0,2077 (em que 100 é o número de tropas) e 50 x 0, 2077 = 10 (arredondado) em que 50 volta a ser o número de tropas.


--------------------------


[2.3] Bónus e batalhas complexas



Embora a parte anterior esteja completamente provada e funciona perfeitamente na prática os bónus não são tão óbvios.
O único dos bónus que é totalmente fiável é a muralha, nos outros casos o resultado nunca é 100 % de confiança.

Para adicionar um bónus, é necessário multiplicar os pontos de defesa antes de determinar quem ganha. Possuir bónus de defesa pode significar a diferença entre a derrota e a vitória.

Os bónus de defesa são:

- Muralha. A muralha/paliçada/muro de terra proporcionam protecção extra.
- Palácio ou residência. O palácio/residência também oferece protecção, mas menos do que a muralha.
- Pesquisas. Melhorar as tropas no ferreiro e fábrica de armaduras aumenta o seu poder de ataque e defesa.
- Moral: o defensor ganha um bónus de moral até 50%, se o atacante tiver mais habitantes do que ele.


--------------------------

[2.3.1] Muralha



O bónus que a muralha oferece ao defensor é calculada pelas seguintes equações:

1,020 ^ X para os Teutões

1,025 ^ X para os Gauleses

1,030 ^ X para os Romanos

Onde X é o nível da muralha. Imaginemos uma muralha romana em nível 15. O bónus que esta permitiria seria calculado da seguinte maneira: (1,03 ^ 15 = 1,5579), ou seja 55,79 %. Uma muralha romana, a nível 20 dá um bónus de mais de 80%, portanto, uma muralha é um pilar fundamental na defesa de qualquer aldeia.


--------------------------


[2.3.2] Residência ou palácio



O palácio ou residência (para simplificar vamos dizer palácio) também ajuda na defesa de uma aldeia, mas muito menos do que uma muralha. O bónus que o palácio/residência oferece, é um número exacto por cada nível. Por exemplo, a nível 20 (o máximo) o palácio ajuda a defesa de uma aldeia com 800 pontos.
E calcula-se da seguinte maneira:

Extra Pontos = 2 x (N ^ 2)

Onde N é o nível do palácio.

O palácio em níveis baixos oferece um bônus de defesa muito pequeno, como indicado pela fórmula: A nível 1 -> 2 pontos, a nível 2 -> 8 pontos, etc...)

Para grandes exércitos, estes pontos extra são insignificantes, mas tornam-se importantes em pequenos exércitos. De facto, 1o imperianos morrem se atacarem uma aldeia com o palácio a nível 20 e sem tropas.

Um palácio, a 20 é muito útil quando os exércitos são pequenos, mas um pequeno jogador não consegue ter o palácio a esse nível.


--------------------------


[2.3.3] As pesquisas



No ferreiro e fábrica de armaduras as tropas são pesquisadas de modo a melhorar as suas forças de ataque/defesa em 1,5 % por cada nível pesquisado.

Este valor não é exacto, mas Lucas_Malor encontrou uma fórmula que aproxima o valor dos melhoramentos.

A fórmula bónus para cada unidade é:

((Gasto por hora + 0,015 * * VALOR_BASE) * NÍVEL / 2 ) / 100 + 1

O gasto por hora é a quantidade de cereais que essa unidade consome por hora; VALOR_BASE é o ataque ou defesa contra infantaria/cavalaria base da unidade (por exemplo, o poder de ataque do imperiano é de 70); E nível é o nível para o qual este subiu.

Por exemplo, o Equites Caesaris tem 180 de ataque, em nível 15 terá um ataque de:

((0,641627 * 4 + 0,015 * 180) * 15 / 2 ) / 100 + 1 = 1,394988

Portanto, um caesaris a nível 15 teria um ataque de 180 * 1,3949 = 251,082.

A melhoria não é muito grande, por isso ela apenas se nota em níveis elevados (15 a 20) e com um grande número de tropas.

NOTA: Não te esqueças de que as melhorias pesquisadas apenas servem para a unidade que pesquisaste.


--------------------------

[2.3.4] Moral



A moral actua apenas quando o atacante tem mais população que o defensor mas só aumenta no defensor. Se um jogador com 500 de população da aldeia atacante atacar um com 600 não haverá bónus de moral. Mas se um jogador com 700 de população ataca um com 150 de população aí sim haverá bónus.

Depende do rácio do poder do atacante / poder do defensor.

Não está muito claro como o bónus de Moral funciona, e não há qualquer informação oficial precisa. Aproximadamente, segue este padrão:

Seja AD o rácio pontos do atacante / pontos do defensor.

Seja R o rácio da população atacante / defensor com pouca população, elevado AD

Se R for superior a 7,5 o defensor ganha uma redução de 50% na defesa.
Se R for inferior a 7,5 o defensor ganha um bónus de moralidade que varia de 0 (quando ambos têm a mesma população) para 50%, R = 7,5, de acordo com uma função logarítmica com assimptota horizontal y = 50 e assimptota vertical x > 7,5.
Podemos aproximar à função: ln R / 4,85 - R / 9

Outras pessoas reduzem a fórmula a:

Bónus = x ^ (1 / 5)

Onde x é a do atacante a dividir pela do defensor

O bónus nunca será superior a 50% (49,93% na realidade) nem inferior a zero.
O erro dessa fórmula é inferior a 0,5%. E este erro é menor do que qualquer outra fórmula. Isso acontece para o T3.

Kirilloid, um jogador russo, foi ainda mais específico. De acordo com ele, na fórmula acima (x ^ 1 / 5) X situa-se entre 0.132 e 1,0
Dentro desse intervalo, x = (1000 * população defensor / atacante população) / 1000 (ou seja, arredondado).

No entanto, no caso do T3 em que os pontos ofensivos do atacante, sem contar com a moral, são maiores que o do defensor e a população também é maior, a fórmula aproxima-se mais de:

Moralidade = (População do defensor / população do ataque) ^ (0,2 * (pontos ofensivos / pontos defensivos)),

Do mesmo modo, Kirilloid garante que o modificador não junta o dano moral causado pelas aríetes.


--------------------------


[2.3.5] Defesa básica de uma aldeia



Os pontos acima mencionados não funcionam quando uma aldeia inactiva ou sem tropas é atacada. No entanto, quando atacas uma aldeia com um baixo número de tropas (5 falanges por exemplo) algumas unidades podem morrer.

Na versão T2 parece que cada aldeia possui 50 a 80 pontos de ataque, isso explicaria porque é que se um Caesaris atacar uma aldeia não morre e um Imperiano sim mas em nível 20 de ferreiro ou fábrica de armadura não. Outro exemplo é enviar dois Pretorianos juntos atacar uma aldeia e estes não morrerem enquanto que o seu poder de ataque total é inferior ao do Imperiano.

Além disso, a defesa base da aldeia é alterada pela defesa bónus, como muitos jogadores sofrem mais acidentes, atacando uma aldeia sem tropas, com palácio e muralha do que atacar outra aldeia com a mesma população, sem muralha ou palácio.

Segundo Kirilloid, No T3 a aldeia tem 10 pontos de base (sem outros bónus)


--------------------------

[2.3.6] Catapultas



Kirilloid descobriu uma fórmula para aproximar os danos provocados pelas catapultas na terceira versão do Travian (T3)

Segundo esta fórmula, para destruir completamente um edifício de nível N precisas de X catapultas:

X = round [(moral * (N^2 + N+1) / (8 * mej)) + 0,5]

Onde "round" significa arredondamento e:

Mej (nível) = round (200 * 1,0205^nível) / 200
Moral = (rácio de população ^ -0,3)
Rácio de população = round (10000 * população defensor/população atacante) /10000
Além disso, a proporção da população está entre 0,0255 e 1,0. Para valores menores ou maiores, toma-se o mínimo ou máximo.

Com esta fórmula o erro é de ± 1 catapulta.



--------------------------

[2.3.7] Reconhecimentos (espionagens)



Quando envias espiões (o nome muda dependendo da tribo, aqui para simplificar vamos chamar espiões) para espiar um jogador, pode acontecer que não haja espiões na aldeia inimiga. Se isto acontecer, o defensor não chega a tomar conhecimento de que foi espiado.

No entanto se houver espiões na aldeia inimiga, haverá uma luta entre espiões em que o defensor não perderá espiões. Apenas o atacante.

Por exemplo, nós enviamos 100 espiões uma aldeia com 14 espiões e 6 de reforço. No total, 100 contra 20.

Atacante: 100 x 35 = 3500 pontos de ataque

Defensor: 20 x 20 = 400 pontos de defesa

O atacante ganha, mas não é um combate normal, o atacante tem algumas perdas que se podem calcular assim:

100 x (400/3500) ^ 1,5 = 3,86

Portanto, dos 100 espiões atacantes, 3,86 morrem (4 arredondado) e, por isso, ambos os jogadores recebem relatório.

Agora sopunhamos que o atacante envia 100 espiões e o defensor tem 200:

Atacante: 100 x 35 = 3500 pontos de ataque

Defensor: 20 x 200 = 4000 pontos de defesa

Portanto, o defensor ganha. O atacante perde todos os seus espiões, e o defensor não perde nenhum. O atacante não recebe nenhum relatório de espionagem, apenas uma mensagem a dizer que nenhum dos seus espiões voltou.

Aparentemente, a muralha, a moral, etc. também funcionam com os espiões.



avatar
Admin-Enkidu
Admin

Mensagens : 60
Data de inscrição : 02/07/2010

Ver perfil do usuário http://travian-enkidu.nsguru.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum